Manifestações do inconsciente – Parte 4: Sintoma

sintoma

 

Dos conteúdos inconscientes se originam diversas manifestações de sofrimento psíquico, que se manifestam através dos sintomas, como TOC, ansiedade, fobia, angustia, depressão, entre outros.
O sintoma é uma mensagem do inconsciente. A psicanalise propõe que todo sintoma tem um sentido, que diz algo sobre a singularidade do sujeito.
Freud aponta no decorrer de sua obra que a origem do sintoma está relacionada com desejos recalcados que não puderam se manifestar por não serem socialmente aceitos. Portanto o sintoma de alguém sempre terá ligação com sua cultura e época em que vive, bem como com a história do sujeito e da sua família.
O sintoma é a expressão de um conflito psíquico, ou melhor dizendo Continue lendo “Manifestações do inconsciente – Parte 4: Sintoma”

Manifestações do inconsciente – Parte 3: Sonhos

sonhar-com-sonho

 

De acordo com Freud “O sonho é a estrada real que conduz ao inconsciente”. O sonho é a realização de um desejo recalcado, que por ter sido expulso da consciência só pode se manifestar se for disfarçado. Portanto só é possível reconhecer o desejo expresso no sonho através da interpretação, que é feita no processo de análise a partir das associações do sonhador.

Para a Psicanálise todo sonho se apresenta como um enigma, uma linguagem cifrada que exige decifração.

O sonho é formado por imagens que visam representar palavras.

COMO NO JOGO REBUS Continue lendo “Manifestações do inconsciente – Parte 3: Sonhos”

Sonhos: revelação do inconsciente

Os sonhos revelam nosso mundo mental e os desejos mais profundos.

 

De todas as características dos sonhos a mais interessante é o seu sentido. Os sonhos são o reflexo do nosso mundo mental e nenhum sonho é por acaso. Ao sonhar nosso verdadeiro ser se manifesta e podemos entrar em contato com o que somos e com o que desejamos.
A obra A Interpretação de Sonhos, publicada em 1899, é conhecida como o mais importante estudo psicanalítico de Freud. Na impressão consta a data de 1900, pois ele queria que sua descoberta fosse associada ao início de um novo século. Nessa obra Freud escreveu: “O sonho é a estrada real que conduz ao inconsciente”. Um sonho não analisado era para Freud como uma carta fechada. Suas teorias causaram uma revolução no estudo da mente.
O sonho da maneira como o lembramos é, na verdade, um substituto disfarçado dos conteúdos inconscientes. O que sonhamos nunca é o que parece ser, mas sim algo distorcido, que para ser compreendido precisa ser decifrado.
O sonho possui dois componentes: O conteúdo manifesto e o conteúdo latente. O primeiro é Continue lendo “Sonhos: revelação do inconsciente”

Site hospedado por WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: